terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

ORACLE 11 g R1 - PRIMEIROS CONTATOS - PARTE III

Estou de volta, e agora trago para vocês a terceira parte, a instalação do produto Oracle 11g R1 no Fedora Core 12.

Espero que apreciem.

INSTALANDO O ORACLE 11gR1 NO FEDORA

Bem , antes de mais nada para podermos prosseguir com a instalação é necessário que tenhamos em mãos o arquivo de instalação do Oracle 11g ou uma Midia gravada com o conteudo.

Podemos obter o software através do site: http://www.oracle.com . Na área de Produtos é fácil encontrarmos os links para os downloads das releases atuais.

De posse do arquivo vamo proceder com os seguitnes passos.

 

Primeiramente vamos preparar os parametros de KERNEL , que determinaram os limites do Oracle dentro do S.O, esse parte é muito importante pois se definirmos errado , seja a maior ou a menor teremos problemas não só no funcionamento da Instancia como também no processo de criação de uma instancia.
 
 
Para ativarmos as alterações feitas no arquivo de Kernel que está localizado no diretório "/etc/sysctl.conf", é necessário privilégios de ROOT, para isso basta abrir uma janela terminal e digitar "su root" e entrar com a senha que determinamos na fase de instalação do S.O, execute o comando "sysctl -p" para ativar as alterações.
Notem que linhas de mensagens de erro apareceram na hora da ativação, vejamos como removelas.


 No sistema operacional vá até a área onde ficam os SERVIÇOS, como demonstrado na figura acima, SYSTEM->ADMINISTRATION->SERVICES.


 
 
Aqui estaram listados todos os serviços no ar e offline do seu S.O, busque por "iptables" e "ip6tables", são regras de acesso prédefinidas que a instalação monta, que poderam atrapalhar os acessos ao seu server se ficaram ONLINE, portanto proceda com o STOP primeiro e depois com o DISABLE em seguida.

 

Ambos os serviços deveram ficar como demonstrado na figura acima, assim você assegura que eles não serão stratados caso ocorra uma reinicialização do S.O.
 
 
O Próximo arquivo a ser edita se enconta no "/etc/security" e se chama LIMITS.CONF, arquivo que como o nome já diz trata das configurações de segurança do S.O. Adicione a este arquivo as linhas que estão abaixo do cabeçalho "Definicoes Oracle 11g R1", salve e saia.

 

Agora editaremos o arquivos de LOGIN que fica dentro do diretório "/etc/pam.d/",  como dito acima adicione as linhas que estão abaixo do cabeçalho "Definicoes Oracle 11g R1", salve e saia.


 
 
Bem, nesta parte nós vamos desabilitar o FIREWALL do Linux, eu sugiro que não usem a interface de seviços para isso, façam via edição manual do arquivo CONFIG que se encontra na pasta "/etc/selinux/", alterando o valor de TARGETED para DISABLED, isso evita que após a instalação do Oracle as librares que carregam o software não sejam bloqueadas por este serviço, impossibilitando assim você de usar seu Oracle normalmente.
 

Neste ponto começaremos a instalar os pacotes de gerenciamente que ainda faltam, através do YUM o gerenciador do Fedora, muito eficiente por sinal, nós podemos obter de repositórios online mantidos pela comunidade FEDORA na Internet, todo tipo de atualização de pacote , bem como os softwares de nossa escolha, para proceder com instalações de pacotes basta digitar o comando YUM INSTALL nome_do_pacote , o gerenciador se conectará a um repositorio e procederá com o download do software das dependencias e ainda instalará automaticamente. Instale os seguintes pacotes :

yum install binutils
yum install glibc glibc-common libgcc libstdc++
yum install make
yum install elfutils-libelf elfutils-libelf-devel
yum install glibc-devel gcc gcc-c++ libstdc++-devel
yum install unixODBC unixODBC-devel
yum install libaio libaio-devel
yum install sysstat
yum install compat-libstdc++-33
 
 

Para alguns pacotes que podem sofrer updates ou upgrades, você precisará confirmar essa ação, basta que quando a mensagem acima aparecer você digite a letra "Y", e tecle ENTER na sequencia, o processo prosseguira sem problemas.
 
 
Opa!!..Eu disse sem problemas? Hum! Vejamos então o que é essa mensagem estranha acima que pode aparecer enquanto instalamos nossos pacotes adicionais. Tratase de apenas um alerta do YUM dizendo que alguem ou outro software atualizador de pacotes esta utilizado o mesmo recurso que você, e solicita que você espere, nãoprecisa tomar nenhuma ação, no dado momento quando for desocupado o recurso ele retoma o processo de instalação sem problemas.
 

Terminadas as instalações, vamos criar nossa arvore de diretórios de instalação, com o comando MKDIR ( Make Directory) você promove essa ação, como demosntrado na tela acima, note que o diretório já esta sendo criado nos padões OFA ( Optimal Flexible Architeture), que promove não só uma organização limpa do ser servidor , como também lhe dá total segurança de estar com seu ambiente devidamente parametrizado com o padrão mundial determinado pela Oracle.
 
 
Os comandos acima são para tornar o usuário ORACLE dono do diretório que acabamos de criar e também dar permissão ao mesmo para ler, gravar e executar tudo que estiver debaixo desta remificação. Mas espera um pouco, como darei permissão se nem criei esse usuário ainda??? Boa, não me esqueci disso não, foi proposital, só pra causar duvida mesmo, rsss!!!...Vejam abaixo como criar o usuário antes de conceder as permissões :
groupadd oinstall
groupadd dba
groupadd oper
groupadd asmadmin

useradd -g oinstall -G dba,oper,asmadmin oracle
passwd oracle
 

Ateriormente não era necessário criar um grupo especifico para utilização do ASM, 
nesta Release o comando se faz necessário, e vermos porque nas imagens a seguir.
 
 
Devemos editar também o arquivo REDHAT-RELEASES que se encontra dento do diretório "/etc", porque isso? A maioria das distribuições não homologadas pela Oracle, e mais comuns em uso como CentOS, Ububntu, Debian e o Fedora, derivam de distribuições já homologadas, no caso do nosso Fedora ele é base do RedHat 5, portanto possui praticamente as mesmas funcionalidades, então devemos subistituir a linha de nomenclatura "Fedora release 12 (Constantine)" por "red hat release 5", salvar o arquivo e sair.
 
 
Feito isso editaremos agora o nosso ".bash_profile", que seria uma espécie de arquivo de parametros do usuário Oracle, que contem variaves que determinaram os diretórios padrões de instalação, nome da instancia, a Home do produto Oracle, e outras informações, este arquivo via de regra é oculto, e fica no diretório "/home/oracle" , você poder visualizalo com o comando ls-la no terminal, edite o adicione as linhas da imagem acima e feche salvando o arquivo. Para que tenham efeito é necessário refazer o logon ou simplesmente executar o arquivo de Bash.

 

Enfim o grande momento, hora de descompactar o nosso produto oracle para começarmos a instalação do mesmo. Proceda com o comando UNZIP e o nome do pacote que foi baixado do site da Oracle. 
Atenção: Baixe a versão correta na arquitetura correta ( 32bits ou 64bits), senão você terá problemas e erros que podem lhe custar dias ou horas desnecessárias. Meu amigo RODRIGO sofreu com um download de release errada que fizeram e pediram pra ele dar suporte, mais enfim isso faz parte.

. 

Após o término da descompactação do software vá para o diretório criado "/database/", dentro encontraremos o instalador "runInstaller", execute o e aguarde a pré verificação, basta digitar "./runInstaller" para executalo, como demonstrado na figura acima.
 
 
Essa é a tela inicial do nosso Instalador do Oracle 11g, não criaremos a instancia agora, portando escolha a opção "Advanced Installation" e clique em "Next". Note que nos campos acima ele leu as variaveis que definimos no arquivo bash do user Oracle e já as colocou de maneira correta nas parametrizações.
 

Aqui o instalador nos informa onde serão gerados os logs do processo de instalação, ou seja, no Inventory do Oracle, e abaixo podemos notar que um grupo que criamos anteriormente é mostrado o grupo OINSTALL, grupo determinado para as Instalações por padrão.
 
 
Bem, aqui é meio autoexplicativa essa imagem, são os tipos de instalações que podemos fazer, que serão escolhidas de acordo com nossas necessidades, visto que cada uma delas possuem particularidades e contam com tipos de licenciamento especifico para uso. Optaremos pela instalação CUSTOM, cliquem em "Next" para prosseguir.

 

Chegamos a um ponto onde podemos ver claramente o uso do BASH_PROFILE, vejam os valores que o instalador atribuiu a cada variavel que deveria ser preenchida no processo de instalação, ORACLE_BASE, diretório padrão da instalação, seguido do ORACLE_HOME name e PATH ( Caminho completo nos padrões OFA). Uma vez constatados que as variaves estão corretas clique em "Next" para seguir em diante, do contrário reveja suas variaves de Bash para que não tenha problemas futuramente.
 
 
Aqui o Oracle fará uma breve "auditoria" para checar se as variaves que você definiu e as diretrizes que o algoritmo de Instalação tem , esão em conformidade, isso poderia ser ignorado se você usasse a variavel "-ignoreSysprereqs" na hora de executar o instalador, porém não teriamos certeza que que fizemos um bom trabalho de customização do S.O, por isso recomendo sempre fazer sem a opção de ignore, é mais garantido e seguro. Se todas os itens mostrados na caixa de dialogo estiverem OK prossiga, senão volte e reveja onde esta o problema e corrija-o.

 

Como eu disse anteriormente, cada tipo de instalação tem lá suas peculiaridades, como a nossa é do tipo "Custom" nós é que faremos essa peculiaridade, eu removi a maioria dos pacotes que eu não usarei nessa instalação, visto que é apenas um teste e não uma base corporativa que pretendemos usar, os checkbox's mostrados vem todos marcados e eu desmarquei opções como SPATIAL, LABEL SECURITY,ADVANCED SECURITY, etc deixei apenas o basico do básico mesmo. Após customizar a seu modo clique em "Next".


 
 
Chegamos ao ponto que eu queria, lembra-se do grupo ASMADMIN que ele pede para criar no processo de pre-instalação? Pois bem eis aqui onde ele será usado, caso vocês utilizem a tecnologia do ASM (Automatic Storage Management) para armazenar seus dados e logs. Clique em "Next".

 

Aqui nesta tela estão disponiveis as opções de "Create a Database", "Configure Automatic Storage Management (ASM)" e "Install database software only" que é a nossa opção, instalaremos apenas o produto Oracle. Clique em "Next" .

  

Temos então um breve sumário daquilo que será instalado no nosso S.O, leiam por curiosidade se preferirem, é mero informativo, em seguida cliquem em "Install".
 
 
Este é o instalador em ação, são 4 fases que ele deverá percorrer antes de terminar o nosso processo, aguarde as fases do processo até a finalização, caso haja problemas neste ponto você poderá recorer aos logs gerados no Inventory para posteriormente procurar as soluções no Metalink ou nos forúns sobre Oracle.
 

No decorrer da instalação será solicitado á você que execute 2 scripts gerenciais com o usuário ROOT, basta abrir uma nova janela TERMINAL e ir até os diretórios indicados e rodar os arquivos acima mostrados. Veja :


 
 
No segundo script haverá uma pausa para confirmação de dados, tecle ENTER para que ele prossiga e pronto. Volte ao instalador e dê OK na tela popup aberta.

 

BINGO!!!!..Terminamos nossa instalação Oralce 11g R1, parabéns aos que chegaram até aqui sem problemas.
Obrigado pela paciencia, e pelo prestigio que alguns fazem do meu Blog.
Voltaremos no proximo artigo para procedermos com a criação do nosso database, MANUAL e via DBCA também.

Abraço á todos! Espero que tenham gostado.