sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

MODO TEXTO : ALIADO OU VILÃO? - Parte I


Olá á todos, como vocês tem passado?


Estou hoje lhes trazendo uma temática que sempre foi alvo de piadas entre psofissionais de T.I menos preparados, e que até hoje pegam os profissionais em inicio de carreira e com pouca experiencia em ambientes HETEROGENEOS, de calças curtas.

Estou falando do modo TEXTO. "O QUE SERIA ISSO?" Vocês podem perguntar, eu me refiro a quando surge a necessidade de realizar qualquer tarefa em um servicor UNIX/LINUX e você muito habituado ao uso dos aplicativos no SERVIDOR X , se depara com- a seguinte tela:


E constata que após ver esta tela, ela será sua companheira durante toda tarefa a ser executada. O QUE FAZER NESSAS HORAS?

Há opções pouco convencionais, do tipo :

  • Usar todo português rebuscado para dar o famoso "LOOK WELL" ou "Veja Bem"
  • Chamar o SYSADMIN para questionar a ausência do "X-Server" , e acabar ouvindo uma daquelas piadinhas de mau gosto.
  • Encarar o desafio e ligar para meia duzia de amigos e consultar o "pai-dos-desesperados Digital", vulgo GOOGLE.
Escolha a opção que melhor se enquadra á você e vá em frente.

Mas não é para isso que estamos aqui, foi pensando nesta dificuldade que eu mesmo tive no inicio da minha carreira, que eu decidi passar para vocês um breve passo-a-passo de instalação de S.O via texto e também de instalação do Oracle Database via RESPONSE FILE ou SILENT MODE para alguns, e criação do database via response file também.

Com isso amadureceremos nossos conhecimentos que por circunstâncias diversas podem as vezes não requerer que usemos tal opção.

Espero que se divirtam.

INSTALANDO O ORACLE ENTERPRISE LINUX 5 - MODO TEXTO

Já de cara o instalador deixa livre para você escolher a melhor opção que ira prosseguir, deixando sempre um prompt com as opções listadas acima dos tipos de instalação que você deseja fazer.




Como vocês podem ver pela imagem acima , uma das opções é "LINUX TEXT", escreva isso no prompt e tecle ENTER para prosseguir.

Uma coisa muito importante na instalação modo texto é que suas armas serão as teclas SPACEBAR,TAB ou ENTER. E exatamente disso que precisaremos para marcar as opções desejadas, pular de campos de entrada de valores ou nomes e confirmar nossas opções escolhidas.


Uma mensagem muito amistosa após alguns segundos de carregamento do servidor de instalaçao será apresentada, como visto acima. Apenas tecle ENTER para prosseguir. Vocês poderam ver que em muito se assemelha com o que é feito via WIZARD, porém aqui estamos disprovidos do que chamamos de "VISUALMENTE BONITO". E aqui ao meu ver como toda e boa configuração manual, lhe possibilitará DOMINIO total da situação.



Aqui neste ponto algo trivial, estamos escolhendo nossa linguagem padrão do sistema operacional, escolham a que melhor lhes agradarem e que forem de pleno dominio e prossigam, para selecionar é simples usem sempre as teclar de TAB para mudar de opções, para navegar dentro de uma lista de possibilidades, usem as SETAS e para selecionar a barra de espaço faz este trabalho.
 

 Escolham aqui seu padrão de teclado, que contemple suas teclas de maneira perfeita para não terem problemas com acentuação e etc.



 Este WARNING será mostrado , pois agora entramos na parte do particionamento do nosso  sistema operacional, onde definiremos a quantidade de recursos desprenderemos para nosso instalador configurar as opções que selecionaremos mais a frente. Cliquem em YES e prossigam.



 Apresento á vocês o PARTITION MANAGER do Linux, aqui vocês terão a possibilidade de usar um modelo de particionamento proposto pelo fabricante, nem sempre a melhor opção, o que nos interessa aqui é a ultima opção :"Create Custom Layout", logo abaixo mostraram a unidade fisica de disco que vocês tem a disposição para criar o particionamento, em nosso caso é a SDA de 30GB, caso tenham criado outros discos virtuais para sua VM eles apareceram aqui também, e você terá a opção de selecionalos ou não para compor sua grade de particionamento de discos. Naveguem até o botão de OK e teclem TAB para prosseguir.



 Apareceram N partições pre criadas pelo instalador, remova todas até que fiquem extamente como está acima mostrado, pois faremos nosso esquema de particionamento.



Após remover todas clicando em NEW, a tela acima será apresentada, preencham os campos MOUNT POINT com o nome de suas respectivas partições, atribuam a elas o tipo de arquitetura, por exemplo:EXT2,EXT3, REISERFS, etc estipulem um valor em MB para a partição marquem se ela será de valor FIXO ou se usará todo espaço disponivel em disco. Feito isso naveguem até o botão de OK e teclem SPACEBAR.

Estamos quase lá, vejam como ficou nosso esquema de particionamento após criarmos os nossos pontos de montagem ( Mount Points) :

  1. /boot - 100MB
  2. /         - 10GB 
  3. /u01  - 18GB
  4. swap - 2GB
Ótimo, temos nosso particionamento criado, feito isso cliquem em OK e prossigam para a próxima etapa.



O Boot LOADER é importante pelo fato de que se você é um usuário com conhecimentos avançados em LINUX pode optar por customiza-lo, mas basicamente aqui selecionaremos o padrão linux que é usar o GRUB, havia antigamente ( momento tiozinho agora!!) o LILO BOOT em algumas distribuições linux, mais enfim, marquem o GRUB e teclem em OK.
 

Vejam o que acabei de mencionar acima, esta tela é uma opção do GRUB onde você tem a opção de passar ou não parametros especificos para que sejam lidos no momento do STARTUP do seu LINUX e com isso executem tarefas administrativas ou de varredura de alguma particularidade que tenham. Não alterem nada , apenas teclem no botão OK.

 Outra opção de configuração do BOOT LOADER opcional, é o uso de senha para o mesmo, naveguem até OK e prossigam.


Aqui vemos o LABEL que será criado na hora da instalação para identificarmos caso tenhamos multiplos particionamentos com diversos sistemas operacionais em uma mesma máquina, pode ser editado para seu próprio prazer e satisfação, eu não customizei o nome pois não havia necessidade, mas caso queiram faze-lo basta clicar em EDIT e entrar com o nome que quiserem. Feito isso cliquem em OK.
 
  
Temos então um informativo de onde serão gravados os registros pertinentes ao MBR ( Master Boot Record). Naveguem até o OK e prossigam.


Iniciaremos agora a configuração da NETWORK INTERFACE,  se vocês possuirem já todas as definições , sugiro que já o façam agora, ou podem clicar em NO e prosseguir e fazer isso depois em um momento oportuno. Eu optei por YES para poder mostrar á vocês o que ocorre.
 

É apresentado para nós as opções de ativar as configurações de rede já no momento do BOOT, e os versionamentos de protocolos suportados IPV4 e IPV6. Marquem a opção ACTIVATE ON BOOT e ENABLE IPV4 Support  e cliquem em OK.
 

As particularidades relacionadas a cada ambiente onde temos interfaces de network , são das mais variadas, se vocês usam DHCP para obter um endereço IP dinâmico fornecido pelo seu server de controle de Redes, marque a opção "DYNAMIC IP CONFIGURATION (DHCP)" , cliquem em OK e prossigam.


A nomenclatura que seu server ou desktop receberá é muito importante, pois é o que irá identificalo perante os outros computadores que comporem sua rede e também é uma maneira de se IDENTIFICAR em uma rede corporativa, atribuam um nome para seu server de sua preferencia, navegue até a opção "manually" e ao lado digitem um nome de sua preferencia, no meu caso usei o nome do meu blog "dbaguar+lnx1". Naveguem até o botão de OK e prossigam.
 

Timezone, uma guerra sem fim para quem não possui um servidor NTP habilitado que controla essas oscilações de entre horário de verão e o tido como horário normal. Usem a cidade onde estiverem como fonte de dados para o TIMEZONE. Cliquem em OK após isso.
 

Hora de dar uma senha para nosso superusuário ROOT, escolham algo que envolva : "Letras em caixa alta+caracter especial+numeros". Este tipo de senha é tido omo das mais seguras, posis envolvem todos os algoritmos de encriptação para interpreta-las e serão mais dificeis de serem hackeadas. Definido uma senha cliquem em OK.


A parte mais divertida do processo de instalação do S.O em texto começa agora, porque será um festival de TAB's e SPACEBAR's, digo isso porque selecionaremos nossos pacotes de instalação. Eu faço uma sugestão, customizem suas respectivas instalações para eliminar aqueles pacotes que julgarem não ser necessário em um server onde terá por finalidade única e exclusiva BANCO DE DADOS. Para isso naveguem até a opção na parte inferior "Customize software selection" cliquem em OK e prossigam.
 

Abrirá uma tela com N opções de pacotes a serem instalados, sugiro apenas que se você não tem experiencia e não conhece muito bem a finalidade de cada um, escolha apenas o que for de sua toaltal segurança e dominio ou busque por tutoriais que expliquem a finalidade dos pacotes para que fique mais seguro na hora de clicar em OK.


Bem aqui não ha o que fazer, se você FUMA não vá fumar, beba agua coma alguma coisa masque chicletes , não sei, só não fume enquanto espera. Aguarde o termino da checkagem das dependencias de pacotes para ele iniciar a instalação do que foi selecionado.


Checados todos os prerequisitos clique em OK para que ele prossiga com a instalação dos pacotes de sistema operacional.



As telas acima mostram o desempenho do instalador de pacotes. Apenas aguarde o término.

Ao final um REBOOT é solicitado, façao e aguarde sua VM com Linux retornar.

Quando a VM der START 100% o processo de instalação terá continuidade, com mais algumas etapas de configuração a serem antendidas. Acima por exemplo é mostrado alguns dos TOOLS disponiveis, vá até FIREWALL CONFIGURATION e clique em "Run Tool".


Desabilite o FIREWALL clique em OK.


 Navegue até System Services para desabilitarmos alguns serviços como IPTABLES e SENDMAIL que por padrão ficam iniciados no nosso Linux.


 Desmarque estes serviços que citei acima e clique em EXIT. Pronto terminamos nossa instalação via TEXTO.


Espero que tenham se divertido tanto quanto eu , no nosso próximo bate-papo faremos a edição dos arquivos para instalação do Oracle em nosso ambiente, não percam.

Fico por aqui, um Abraço á todos!!!


 Sucesso Sempre!!!!!