quarta-feira, 28 de setembro de 2011

MODO TEXTO : ALIADO OU VILÃO? - Parte V

Olá á todos, como vão vocês?

Peço desculpas pela demora e pela ausência de "novos-post's" aqui neste nosso espaço, mas é que não estava com tempo mesmo para escrever algo que lhes fosse ser util. Porém agora espero poder continuar a compartilhar conhecimento com vocês de maneira mais eficiente.

Dando sequencia a nossa série de "Modo Texto", esta tem por objetivo nos ajudar a criarmos a nossa instancia e banco de dados com o auxilio do DBCA, mas não o convencional, me refiro ao DBCA em modo RESPONSE FILE, isso mesmo temos também nosso WIZARD para criar banco de dados em forma de arquivo de configuração (dbca.rsp).

                  Não é de hoje que lembro á vocês a razão pela qual fiz estes artigos, mais nunca é demais relembrar a finalidade dos mesmos, há determinados momentos em nossa carreira em que ocorrem diversas situações, e uma delas pode ser a de não encontrar em um de nossos clientes de atuação, um servidor "X" ( Ambiente Gráfico de plataformas LINUX/UNIX) iniciado em nossos servidores de banco, e quando isso ocorre , caso você já não tenha passado por essa situação, vem sempre a pergunta : O QUE EU FAÇO AGORA?. E foi pensando em exatamente isso que desenvolvi esses artigos, e espero que com eles possamos dismistificar uma porção de dúvidas, angustias, incertezas e considerações que lemos e re-lemos em diversos forúns, blogs e etc.

                 Chega de papo, vamos ao que nos interessa,  espero que consigamos ter êxito no decorrer de nossas atividades. Obrigado á todos que acompanham este canal de troca de conhecimento e informação, e que todos tenham muita sorte e sucesso sempre.

CRIANDO UM BANCO VIA RESPONSE FILE

O que é um response file?

Conceito: trata-se de um arquivo cujo conteúdo lhe permite executar funções em modo texto, sem a presença de um ambiente gráfico, onde poderá realizar tarefas de criação e configuração de ambientes como se em modo wizard estivesse, ou seja, usando os arquivos ".RSP" tornará possivel a nossa intalação de produtos oracle, configuração de nossas instancias e configurações de rede também. ( grifo nosso ).

                Por padrão nosso arquivo DBA.RSP se encontrará sempre no seguinte diretório "[diretório de instalação do oracle]/database/response" , caso adotem padrões oracle ou não este é pelo menos no meu conhecimento o caminho onde deverá encontrar seus arquivos .RSP.

               Vamos então dar uma olhada no conteúdo deste nosso arquivo DBCA.RSP, e ver o que nos aguarda para a nossa configuração de Banco de Dados?


                Reparem na imagem que eu estou no diretório "/u01/downloads/database/response", ou seja, este é o diretório onde fiz a extração do produto oracle, é lá que encontraremos nossos response files como podemos ver listados na figura acima.




               O video acima mostra para nós o conteúdo do nosso arquivo de response, para criarmos nossa instancia via SILENT MODE. Porém iremos edita-lo para usar somente o que for necessário pois há muita informação neste arquivo que pode ser dispensada neste nosso laboratório, mas que vocês precisa saber que existem algumas possibilidades além do "CRIAR UMA INSTANCIA ORACLE".

SEÇÕES DO ARQUIVO "DBCA.RSP" 


               Bem como foi citado acima, nós não somente podemos criar uma instância comum usando o response file, como também podemos definir algumas caracteristicas desta instancia que será criada usando este mesmo arquivo, como por exemplo podemos definir aqui se nosso armazenamento será do tipo "FILESYSTEM COMUM" ou "ASM".
              
               É claro que não podemos deixar de citar que, além desta opção que estamos trabalhando, que é usar RESPONSE FILE, nós podemos também criar manualmente uma instância através dos processos normais que todos já conhecemos, mas que porém são bem manuais e requerem um pouco mais de trabalho do que o de costume.
 


             Notem que na imagem acima eu copiei uma versão do dbca.rsp para meu diretório local o "/u01", e em seguida gerei uma segunda cópia do mesmo com o meu nome no final , ficando assim "dbca_davis.rsp" e em seguida editei o mesmo deixando apenas os parametros que eu irei utilizar, vejam : 


[GENERAL]
RESONSE_FILE_VERSION = "10.0.0"
OPERATION_TYPE = "createDatabase"
[CREATEDATABASE]
GDBNAME = "platao"
SID = "platao"
TEMPLATENAME = "General_Purpose.dbc"
SYSPASSWORD = "manager"
SYSTEMPASSWORD = "manager"
CHARACTERSET = "WE8ISO8859P1"
NATIONALCHARACTERSET = "UTF8"
MEMORYPERCENTAGE = "20"


          Para os que estão acostumados a utilizar o DBCA via modo gráfico, algumas informações, ainda que em caracter são bem familiares, de um modo geral cada seção dessa é determinada pelo seguinte :

  • GENERAL SECTION : necessária para qualquer operação em modo SILENT ou BATCH se preferir, e é aqui que a versão e o tipo de operação serão pré-definidas. 
  • CREATE DATABASE SECTION : determina qual o tipo de base de dados será criada, onde se encontram os parametros como NOME da INSTANCIA, SID, tipo do template a ser usado e também temos a definição das senhas de SYS/SYSTEM.
        Há outras seções referenciadas neste arquivo , porém como não as usaremos agora, fico a disposição para enviar ou tirar dúvidas sobre as demais, caso algum de vocês queiram. 
 
        Agora nós iremos realizar a chamada do nosso response file para começarmos a criação do nosso banco, há duas maneiras de se usar esse response file, via SILENT MODE ou usando a opção de PROGRESS_ONLY, porém caso opte por usar a segunda opção , você precisará d eum ambiente X carregado para que o applet java da barra de progresso da criação do seu banco seja msotrada, veja abaixo:
 
 









                Reparem nas figuras acima todos os passos que o SILENT mode realizou durante nosso processo de criação da Instancia PLATAO , e ao final uma mensagem indicando um diretório com o LOG é mostrada, a ultima imagem mostra o conteudo deste LOG, que nada mais é do que o resumo dos passos adotados.

               Usaremos agora a opção PORGRESS_ONLY para que vocês possam ver como ela se comporta, mudarei o nome da instancia para SOCRATES para que possamos idenficar ambas depois.




               Vamos então a syntax do Progress_only :


dbca -progress_only -responseFile [Nome do Seu Arquivo de Response]





           
                 Pronto, temos nossa segunda instancia via RESPONSE FILE criada usando a opção progress_only, para que não surjam dúvidas vamos nos conectar em ambas para nos certificarmos de sua existencia de fato :

                 
                    Primeiramente uma verificada nos processos usando a command line "ps -ef|grep pmon" , que retornou para nós as linhas contendo os dois processos background dos nossos bancos recem criados, e na sequencia uma breve conexão e um select na visão V$INSTANCE para checarmos cada uam delas.

                   Bem pessoal, era isso que tinha para dividir com vocês, me desculpem o atraso, espero que tenham gostado, e que isso agregue algo no dia a dia de vocês, prometo vir com mais novidades nos próximos posts.
                   Muito obrigado pelas visitas , emails cobrando novos posts e principalmente por acompanharem este canal de comunicação.

                Um abraço á todos e muito Sucesso Sempre!!!!

Fonte Bibliográfica : Oracle 10g/11g Data and Database Management Utilities.
Autor : Hector R. Madrid